quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A Poesia Vive. De certo Modo. Mas Vive!!!

A instituição:
Bradesco.

Os personagens:
Mauro Junior - Internauta.
Tábata Cury - Equipe de Mídias Sociais do Bradesco.

O caso: 
Mauro Júnior é correntista do Bradesco e parece ter perdido o seu cartão magnético. Achou uma forma criativa de relatar o ocorrido ao banco e requisitar outro cartão: postou um poema no Facebook do Bradesco:

“Banco Bradesco querido
Quisto por mim e os meus
Tens sua morada paulista
Bem na Cidade de Deus

Vejam que bela homenagem
O próprio Deus concebeu
Para a sua cidade
O vosso Banco escolheu

Eu até que me poria
Em alta colina à bradar
Peito banhado em verdade
Bradesco em primeiro lugar

Mas venho por outro motivo
O que findou meu sorrir
Para por fim ao martírio
Um favor vou lhes pedir

Plena falta de cuidado
Digna de um jabuti
Fazendo compras no mercado
O meu cartão eu perdi

Antes que eu passe fome
Faço a solicitação
Ao meu Banco preferido
PRECISO DE OUTRO CARTÃO!” 

Valendo-se do ímpeto criativo semelhante, eis a resposta à solicitação de Mauro:

“Mauro querido cliente

Pra você ter outro cartão

à sua agência deve ir pessoalmente



Mas não será por motivos fúteis

Você irá cadastrar uma nova senha

E seu cartão chegará em até 7 dias úteis



Agradecemos sua compreensão

E sempre que precisar

Pode contar com a nossa colaboração


:-)” 

Justiça seja feita, foi uma forma “fofa” de requisitar um novo cartão ao banco, e claro, condizente com uma excelente forma de adquirir popularidade, afinal, segundo "O Globo", até a noite da última terça-feira, 1700 pessoas haviam “curtido” o poema do internauta. A nobre responsável pelas mídias sociais do Bradesco ainda não atingiu a mesma popularidade, mas sem dúvida está se saindo muito bem: foram 1200 cliques até então.

Levando-se em consideração o esquema visualizei-curti-copiei-colei-adotei, é bem capaz que a moda pegue. Só quero ver se o nobre Bradesco vai ter condições de atender a todas as requisições com um préstimo tão “carinhoso”.

Claro que a maldade já começou, como sempre. Tem muita gente dizendo sobre tudo ser armação do banco para projeção de sua marca nas redes sociais e afins.

Pessoalmente prefiro acreditar na parte lúdica da coisa, aquela responsável por fazer alguém clicar no botão da curtição lá no tal do Facebook.
Um pouco de criatividade é sempre bom, seja lá como for. E nem precisa ser um "tratado erudito".

Foi massa Mauro e Tábata. Aqui não tem o tal botão, mas eu curti também.
 
:)


E.Moraz.

Link para a matéria do "O Globo":

http://oglobo.globo.com/blogs/nasredes/posts/2011/10/25/cliente-sem-cartao-bradesco-trocam-poemas-no-facebook-413240.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário