segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Você sabe qual foi a primeira música "ripada" para Mp3?

Claro que sabe. Hoje em dia a gente sabe tudo. Basta ir até o Google e pronto. Se o Google não resolver, a Wikipédia resolve. Tudo bem que o nome do ex presidente Lula ficou um bom tempo lá com a grafia errada, por um arranjo especialmente concebido pela revista VEJA para provar que a Wiki não é tão “quente” assim, mas, isso é outra estória...

Suzanne Vega é informalmente considerada a “Mamãe do Mp3” por ter sido a autora da canção em estilo a capella “Tom’s Diner”, escrita em 1981 e lançada pela primeira vez em Janeiro de 1984 na Fast Folk Musical Magazine, uma combinação de revista com um disco de vinil. Muito querida dos artistas na época, por divulgar novos talentos, a revista-disco ajudou aos artistas folk ganharem certa notoriedade de 1982 a 1997. Pelas bandas de cá, “Tom’s Diner” apareceu no primeiro vinil de estúdio da cantora, “Solitude Standing”, de 1987. 

Não conhece nada da artista? Olha que conhece!!! Se você era vivo em 1987 e já grandinho o suficiente para pedir ao seu pai um dinheirinho para comprar discos ou fitas para gravar vinis dos amigos e de vez em quando se deparava com um rádio sintonizado em alguma estação FM, você já ouviu Suzanne Vega, mesmo sem o estilo “folk” ser seu preferido. Claro, já existia CD no Brasil. Mas ainda era coisa fina e cara pra caramba. Além do mais, quando o tal hoje em dia desprezado disquinho prateado apareceu, só haviam peças de compositores clássicos. Nada de Beatles, Stones, Iron Maiden ou da própria Suzanne Vega.

Mas não foi com “Tom’s Diner” que Vega literalmente arrebentou aqui no Brasil e sim com “Luka”, uma bonita canção, parte da trilha sonora internacional da novela “Mandala” da Rede Globo. Em todo lugar onde se ia, em qualquer bar, restaurante, clube ou festinha, ouvia-se:


“My name is Luka... I live on the second floor... I live upstairs from you... Yes! I think you’ve seen me before...”.


Lembrou? Não? Então eis aqui a parte do primeiro refrão:


“...if you hear me something late at night, some kind of trouble, some kind of fight;


Just don't ask me what it was...

Just don't ask me what it was...

Just don't ask me... what it was..."

E agora? Lembrou? Bonitinha né? Mas, infelizmente, a canção conta uma estorinha triste de um garotinho que sofria a famosa e lamentável violência doméstica aonde vivia, no segundo andar de um prédio de apartamentos. É... a relidade de nossos tempos não é, como sabemos, formada por fatos novos...

O curioso de toda a estória, é que Vega não teve diretamente nada a ver com o desenvolvimento do Mp3 e é bem provável que a artista só tenha ficado sabendo de seu título como "Mamãe do Mp3" bem depois de sua canção ter sido usada nos experimentos da então nova tecnologia.


O "culpado" da façanha foi um engenheiro de áudio alemão chamado Karlheinz Brandenburg. Trabalhando para o instituto Fraunhofer, também conhecido pelo título de "sociedade" homônima, ele recorda:


"Eu estava pronto para executar os ajustes finos em meu algoritmo de compressão... em algum lugar no final do corredor, um rádio transmitia 'Tom's Diner'. Eu fiquei eletrificado. Eu sabia que seria quase impossível comprimir aquela voz a cappella tão macia".

Em seus primeiros experimentos, Brandenburg não obteve muito êxito. A voz de Vega continuava distorcida. Porém, utilizando a canção como base de esquema de aperfeiçoamento do algoritmo de compressão, o engenheiro finalmente conseguiu produzir uma versão de "Tom's Diner" com a qualidade das opções de bitrate do Mp3 como conhecemos hoje. A canção então tornou-se a primeira música a ser "ripada" para o formato de arquivo Mp3. Todos os testes envolvendo as experiências com o Mp3, envolveram a canção de Vega.

Como praticamente tudo o que é lançado, "Tom's Diner" possui várias versões diferentes. Em "Solitude Standing", o primeiro álbum de estúdio da cantora, a faixa aparece duas vezes. Uma delas é a versão utilizada por Brandenburg para seus testes de ajustes de compressão e a outra, apenas instrumental. Esta possui um "beat" totalmente diferente da versão cantada por Vega. Depois vieram os vários e inevitáveis remixes. Várias versões incluem o ajuste de tempo da versão instrumental sob a versão a cappella.


Confira a seguir o vídeo oficial de "Tom's Dinner", em sua versão original, sem a parte instrumental. Em seguida, o vídeo de "Luka", o primeiro e único "hit" da cantora verdadeiramente emplacado no Brasil e finalmente, a faixa título de seu primeiro álbum de estúdio, "Solitude Standing".

 
Suzanne Vega - Tom's Diner

Suzanne Vega - Luka
 
Suzanne Vega - Solitude Standing

Nenhum comentário:

Postar um comentário